Feeds:
Posts
Comentários

Archive for julho \15\UTC 2012

“Todos os pedagogos eruditos são unânimes em afirmar que as crianças não sabem por que desejam determinada coisa; mas também os adultos, como as crianças, não andam ao acaso pela terra, e, tanto quanto elas, ignoram de onde vêm ou para onde vão; como elas, agem sem propósito determinado e, igualmente, são governados por biscoitos, bolos e varas de marmelo: eis uma verdade em que ninguém quer acreditar, embora seja óbvia, no meu entender.”

Goethe, no livro Os Sofrimentos do Jovem Werther, escrito em 1774.

Este trecho de Goethe sempre chamou a minha atenção por falar que os seres humanos não tem auto-conhecimento e tampouco possuem livre arbítrio. Afirma que adultos agem seguindo os mesmos princípios que as crianças: se comportam para ganhar reforço positivo (bolos, biscoitos) e que para evitar punição positiva (vara de marmelo). E ainda termina indignado com o fato de ninguém querer acreditar em uma verdade tão obvia.

Podia ser qualquer um dos Skinnerianos atuais falando, mas isso foi escrito em 1774.

Anúncios

Read Full Post »

A vantagem de fazer uso de métodos baseados em princípios cientificamente provados é que eles sempre funcionam. Assim como os físicos não precisam se preocupar se a lei da gravidade funcionará em uma determinada situação, eu posso prever, com um alto grau de certeza, que os princípios do comportamento funcionarão em qualquer situação onde está o comportamento, seja na Terra ou no espaço. As leis do comportamento são em uma estação espacial são são as mesmas que na Terra. São as mesmas na China como elas são nos Estados Unidos. Ao contário do que Dan Pink afirma em seu livro, Drive, eles são os mesmos em qualquer pessoa, independente no nível de instrução, etinia ou origem cultural. Eles são válidos no laboratório assim como são nas fábricas. Como meu amigo italiano, Enico Ottoni, afirmou quando eu estava preocupado com o meu primeiro trabalho fora dos Estados Unidos “Vai funcionar na itália porque os italianos são humanos também”.

 

 

Citação original: 

The advantage of using methods based on scientifically proven principles is that they work every time. Just as the physicist doesn’t have to worry about whether the principles of gravity will hold in a given situation, I can predict, with a high degree of certainty, that the principles of behavior will work in any situation where there is behavior, whether on earth or in space. The laws of behavior are the same in the space station as they are on earth. They are the same in China as they are in the U.S. Contrary to what Dan Pink states in his book, Drive, they are the same with all people, regardless of education level, ethnicity or cultural background. They apply in the lab as they do in the factory. As my Italian friend, Enrico Ottolini, stated when I was worried about ADI’s first work outside the U.S., “This will work in Italy because Italians are people too.”

Citação retirada do artigo de Aubrey Daniels: B. F. Skinner: Why today Bussinesses Need to take a New Look?

Read Full Post »

Aproximadamente 80 anos atrás, Skinner construiu um aparelho que permitiu estudar o comportamento em sua menor unidade. Esse aparelho ficou conhecido como Skinner Box. Dos estudos que realizou fazendo uso desta caixa ele postulou princípios sobre o comportamento a partir dos quais construiu uma teoria explicativa do comportamento humano e animal conhecida como Behaviorismo Radical.

Na caixa, Skinner e outros estudiosos da teoria que se seguiram, colocaram ratos e pombos para ver como eles se comportavam em certas condições. Os resultados eram fantásticos: após serem treinados para bicar uma plaqueta e estas bicadas serem contingenciadas com bolotas de comida, alguns pombos chegavam a bicar 5 mil vezes ao final do que recebiam a sua pequena bolota.

Ainda hoje, muitos duvidam que uma teoria que tenha sido construída a partir da observação do comportamento animal em situação de laboratório possa explicar o comportamento humano complexo. Crítica esta que os Behavioristas Radicais vem rebatendo ao longo das últimas décadas lidando com comportamentos cada vez mais complexos sem que tenha sido necessário modificar os princípios básicos da teoria.

Mas um publicitário resolveu, talvez sem saber, fazer uma Skinner Box gigante para humanos. Será que quando colocados para em uma situação similar a de laboratório humanos se comportariam de forma similar, seguindo os mesmos princípios?

Confira o resultado:

Read Full Post »

Mario Bellatin em seu livro Flores, faz algumas considerações sobre a ciência. São reflexões interessantes e por isso, apesar de o livro ser pura literatura, resolvi compartilha-las.

“Não só se pôs em evi­dência o emprego inadequado do fármaco, como semeou-­se a desconfiança diante dos avanços da ciência em geral. Dada a repercussão mundial do assunto, teve­-se a impressão de que os cientistas utilizavam métodos diversos para assimi­lar, simultaneamente, as descobertas que iam surgindo em suas áreas. Pareciam recorrer a diferentes sistemas que lhes permitiam decodificar, num idioma universal, os elementos que fundamentavam seus achados. No entanto, até agora é um verdadeiro mistério o que ocorre com esses recursos quando a ciência, aparentemente, comete um erro. Haverá mecanismos especialmente criados para apagar esses erros, a fim de possibilitar que toda a comunidade científica recue, de repente, ante suas convicções?” (p. 7)

“Queria, sobretudo, que ficasse claro para ela que no assunto dos laboratórios não estava em jogo nenhuma questão de fé. Sua intenção era questionar a ciência até as últimas consequências. Estava convencido de que nos últimos tempos os avanços nesse campo surgiam de forma desgovernada, sem nenhum tipo de controle. Era hora de alguém advogar a favor das vítimas que esse processo desen­freado acarretava.” (p. 49)

Read Full Post »